Sabia que os ataques cibernéticos têm como alvo a força de trabalho de qualquer lugar?

Últimos Posts

Populares

Encontre por categoria
TIVIT
By
Março 25, 2022

Sabia que os ataques cibernéticos têm como alvo a força de trabalho de qualquer lugar?

O Brasil é um dos países que mais sofre ataques virtuais no mundo, a maioria deles decorrentes de ransomwares. São milhões de registros ao redor do globo em períodos semestrais. As violações ocorrem em instituições públicas e privadas, na área da saúde, educação, varejo etc. Após o início da pandemia da Covid-19, as invasões aumentaram consideravelmente em decorrência da adoção massiva do regime de trabalho remoto.

Um dos tipos mais comuns de ransomwares é o Ryuk que infecta os sistemas e embaralha os seus arquivos, além de torná-los inacessíveis. Um software maligno chamado Cerber consegue criptografar os documentos e deixá-los à mercê dos criminosos que exigem resgate para fazer a devolução. O SamSam, por sua vez, invade os ambientes e explora as suas vulnerabilidades para controlá-los.

Neste conteúdo, vamos mostrar como os ataques cibernéticos vêm crescendo cada vez mais, principalmente contra grandes empresas. Aqui, vamos falar sobre os impactos das invasões virtuais e mostrar os principais prejuízos dessas ações para segurança de dados, processos internos, finanças e imagem das corporações. Além disso, vamos explicar quais são as melhores ações de prevenção.

Quer saber como o crescimento do home office criou um cenário propício a ataques cibernéticos? Continue a leitura!

Como os ataques cibernéticos vêm crescendo cada vez mais?

Uma recente pesquisa da VMware abordou os impactos das ameaças cibernéticas e apresentou algumas estatísticas relevantes. Conforme o Relatório Anual de Ameaças de Resposta a Incidentes Globais deste ano, houve um grande aumento nos ataques cibernéticos destrutivos. O estudo avalia como os criminosos manipulam a realidade para remodelar as suas estratégias.

Uso de métodos avançados

As informações atuais revelam que os inimigos utilizam métodos avançados para realizar ataques mais sofisticados e direcionados, distorcem a realidade, manipulam o tempo e comprometem as comunicações corporativas. A corrida para a tecnologia cloud aconteceu em meio à pandemia e foi explorada pelos cibercriminosos.

Mais de 40% dos entrevistados relataram que as ameaças foram direcionadas às cargas de trabalho na nuvem. Os hackers continuam avançando no desenvolvimento de ataques cada vez mais destrutivos e sofisticados. O mundo físico e o mundo digital convergiram após a chegada da Covid-19, e os cibercriminosos conseguem manipular tudo o que acessam.

Criação de ataques complexos

Os criminosos são os primeiros a adotar tecnologias avançadas, como Machine Learning (ML) e Inteligência Artificial (IA), e atuam nas comunidades de inteligência de seus países. Os profissionais especializados lutam para conter os ataques complexos e para ganhar visibilidade em ambientes na nuvem, aplicativos de comunicação corporativa e contêineres.

De acordo com o relatório, as equipes de resposta a incidentes também enfrentam dificuldades de saúde mental, mais de 50% dos profissionais experimenta esgotamento ou estresse extremo. A Síndrome de Burnout é um dos problemas das pessoas que lidam com pico de engajamentos em ambientes remotos.

Exploração de vulnerabilidades

A relação entre o crime eletrônico e os estados-nação explora vulnerabilidades das organizações e aumenta o cenário de ameaças. Das empresas que sofreram ataques de ransomware, mais de 60% verificaram parcerias entre os grupos desse malware e programas afiliados. O relatório afirma que mais de 80% dos defensores pretendem adotar defesa ativa nos próximos meses.

A pesquisa revelou também que os criminosos estão utilizando técnicas avançadas para que as ameaças sejam direcionadas e mais destrutivas. As vítimas afirmaram que mais da metade dos ataques foram para destruir a integridade das empresas. Os hackers utilizam métodos emergentes, como ataques Chronos, e manipulam os carimbos de data/hora. O trabalho remoto também ampliou as tentativas de invasões.

Casos de ataques cibernéticos e os impactos nas empresas atingidas

Recentemente, várias empresas renomadas sofreram ataques cibernéticos e tiveram muitos prejuízos em seus processos internos, sofreram perdas financeiras e a sua imagem foi prejudicada. Veja a seguir alguns casos envolvendo organizações que foram vítimas dos ransomwares e estão tendo que lidar com a segurança de seus dados!

Na área de telecomunicações

Uma grande operadora de rede sem fio que atua no mercado americano realizou uma investigação que revelou o roubo de 40 milhões de informações pessoais de ex-clientes e clientes da companhia. Cerca de 7,8 milhões de usuários do serviço móvel dessa multinacional tiveram os seus dados sensíveis acessados pelos criminosos.

Os bandidos roubaram nomes e sobrenomes, além das datas de nascimento. A operadora de serviços de telecomunicações afirmou que não houve indícios de comprometimento das informações financeiras dos clientes. A multinacional admitiu a invasão do seu banco de dados, depois que um veículo de comunicação publicou o fato de ter recebido uma oferta para a compra de dados privados em um fórum.

De acordo com a plataforma de notícias, a pessoa envolvida na fraude disse que 100 milhões de pessoas foram expostas e os seus dados pessoais comprometidos. Ela teria oferecido informações de 30 milhões de pessoas em troca de 6 bitcoins. Depois, surgiram outros relatos de que o preço de venda de todos os dados era de apenas 200 dólares, mas essa informação não foi comprovada.

Na área de consultoria

Uma conhecida empresa de consultoria global também sofreu uma invasão realizada por um grupo de hackers que usaram o ransomware LockBit. Os criminosos ameaçaram publicar os arquivos criptografados da organização na dark web se não fosse pago o resgate exigido, conforme imagens avaliadas pela Emsisoft e pelo CNN Business, que lidam com segurança cibernética.

O incidente foi confirmado pelo porta-voz da organização, sem reconhecer o ataque de ransomware. O profissional afirmou que, por meio dos protocolos de segurança e dos controles da organização, foram identificadas atividades irregulares em um dos seus ambientes. No entanto, os servidores afetados foram imediatamente isolados.

Os sistemas foram totalmente restaurados e não ocorreram impactos nas operações da multinacional, tampouco nos sistemas dos clientes. Esse grupo de hackers surgiu em 2019 e costuma alugar o seu software malicioso para criminosos afiliados que, após a inserção do ransomware nas redes das empresas, recebem parte dos resgates.

Na área de varejo

Uma grande marca varejista de moda e lifestyle também foi vítima de um ataque virtual e teve o seu sistema indisponível durante várias horas. O e-commerce foi alvo dos criminosos, mas a empresa afirmou que os seus bancos de dados foram preservados e que não houve vazamento de informações de seus clientes na Internet. Após o alerta emitido pela companhia, o site da loja ficou inoperante.

O ataque também foi por meio de um ransomware, com o objetivo de sequestrar os dados e cobrar resgate em troca da liberação dos arquivos. Esse tipo de crime aumentou significativamente nos últimos tempos, e os criminosos já atacaram empresas nacionais, multinacionais das mais diversas áreas de atuação e também organizações governamentais.

Na área governamental

Sites pertencentes a um governo estadual brasileiro também sofreram ataque hacker recentemente, assumido por um grupo que havia feito o mesmo tipo de ataque a outras fontes governamentais. A companhia de processamento de dados do estado confirmou o ataque, mas disse que não houve vazamento de dados. Ainda assim, serviços como o do Detran local ficaram indisponíveis. O site geral da sede do governo chegou a ficar totalmente fora do ar.

Quais são as melhores ações de prevenção e de segurança para empresas?

Com a chegada do home office, é preciso reforçar a segurança da infraestrutura de TI da organização e ir além da instalação de um pacote básico de proteção para evitar que o negócio fique vulnerável. As empresas podem adotar várias ações de prevenção contra ataques virtuais. Veja, a seguir, as principais dicas para diminuir as chances de ser alvo de criminosos!

Armazenamento em nuvem

O armazenamento em nuvem híbrida substitui a infraestrutura de TI usada pela empresa por um ambiente virtual, no qual todos os dados ficam disponíveis aos usuários a qualquer hora e a partir de qualquer lugar. Basta utilizar um dispositivo ou computador conectado à Internet para conseguir realizar as atividades laborais em home office.

A migração para a nuvem permite o armazenamento, a manipulação e o gerenciamento dos arquivos à distância. As empresas não precisam mais ter servidores internos e ficam mais seguras, já que os negócios de tecnologia investem muito nesse sentido. Os fornecedores desses serviços se responsabilizam por manter as informações seguras contra ataques cibernéticos.

Criptografias

A criptografia é uma tecnologia que transforma as informações originais em outras que não são compreensíveis aos leitores. O processo pode ser revertido com o uso de uma chave que serve para a decodificação e retirar a restrição de acesso. Desse modo, a solução é muito utilizada em sistemas de segurança da informação para impedir que criminosos acessem arquivos sigilosos.

A encriptação ou desencriptação dos dados é realizada por meio de um algoritmo ou conjunto de procedimentos predeterminados que manipulam as informações. Há milhares de algoritmos diferentes. Eles podem camuflar a informação com substituição de palavras e letras, embaralhamento dos trechos das mensagens, rotacionamento de bits ou combinar todos esses métodos.

Programa de segurança de dados

A proteção de dados de uma empresa depende da maneira como os colaboradores acessam e utilizam a Internet. Estabeleça diretrizes comportamentais para todos os usuários do sistema da organização, com regras claras sobre o uso de recursos de TI para aumentar a segurança das informações. Coloque as regras em um documento e peça para que todos leiam e assinem.

Além disso, investir em programas de conscientização voltados para a segurança e a privacidade é uma forma complementar de levar esse conhecimento àqueles que estão na linha de frente das Organizações.

Um programa de segurança de dados impedirá que os colaboradores cometam erros ao utilizar os equipamentos da empresa. A maioria não tem conhecimentos sobre regras de proteção e estão despreparados para se proteger dos ataques de cibercriminosos. Ao tomar ciência sobre os cuidados que precisam ser tomados ao acessar a rede, diversas ameaças podem ser evitadas.

Instruir e educar também diminui gastos com medidas corretivas e novos investimentos devido aos ataques virtuais. Ações desse tipo agem de forma preventiva, como um guia para a realização das atividades. Por exemplo, determinar como os equipamentos serão utilizados pelos times para impedir a instalação de ransomwares por descuido e outras orientações úteis para o dia a dia do trabalho virtual.

O crescimento do home office aumentam as chances de ataques?

O crescimento do trabalho em home office oferece mais facilidade para os criminosos invadirem os sistemas das empresas. Isso decorre principalmente por dois fatores. O primeiro é a migração com pouco ou nenhum planejamento para a nova modalidade de trabalho, acreditando que as medidas utilizadas na proteção interna seriam suficientes. Em segundo lugar, pelo uso dos aparelhos pessoais dos colaboradores para realizar as atividades corporativas, os quais acabam sendo alvo dos ransomwares.

Recentemente, a VMware divulgou a quarta edição do Global Security Insights Report. Veja alguns detalhes!

Novos desafios

A VMware, durante o Security Connect 2021, usou como base uma pesquisa online que envolveu 3.542 profissionais: CTOs, CIOs e CISOs do mundo inteiro. O estudo aponta que os líderes de segurança precisam repensar e transformar as suas estratégias de cibersegurança, enquanto as equipes ainda se adaptam aos novos desafios da transformação digital e ao home office.

Vulnerabilidade das tecnologias

O relatório revelou que o trabalho remoto levou vários profissionais a enfrentar ameaças que estão evoluindo. Os criminosos estão explorando a inovação acelerada e a força de trabalho que atua em home office. Praticamente 80% das empresas foram alvos de ataques virtuais, porque os seus funcionários trabalham a partir de suas casas e devido às vulnerabilidades das tecnologias.

Sistemas de segurança legados

A corrida para a adoção de tecnologia em cloud trouxe aos líderes empresariais a oportunidade de repensar a abordagem de segurança cibernética. Conforme o relatório, os sistemas de segurança legados são insuficientes com colaboradores em home office. Por isso, as empresas necessitam adotar uma proteção que atenda às suas cargas de trabalho para proteger suas aplicações e dados confidenciais.

Implementação de pilhas de segurança

Os invasores estão mais sofisticados e as ameaças virtuais apontam para a necessidade de capacitar profissionais para a detecção e interrupção de ataques cibernéticos. Também, é necessário fazer a implementação de pilhas de segurança para o universo corporativo que está priorizando a nuvem e o trabalho remoto. O Global Security Insights Report, que trata sobre proteção cibernética, fez várias descobertas.

Exposição das informações corporativas

Uma delas é que apesar das novas tendências de ataque e da necessidade de priorizar a segurança das informações, que estão expostas em virtude do home office, as empresas não percebem a urgência de tomar iniciativas para proteção. Embora a maioria dos entrevistados reconheça que a sua organização sofreu violação, eles ainda não atualizaram suas políticas para mitigar o risco.

Ressurgimento do ransomware

O trabalho remoto e o ressurgimento do ransomware criaram possibilidades de ataques imprevisíveis. Mais de 70% dos entrevistados revelaram que o volume de ameaças cresceu, porque os colaboradores estão trabalhando em casa e que as investidas estão mais sofisticadas. As principais causas de violação foram o uso de aplicações de parceiros e os malwares.

Aumento da superfície para os ataques

O relatório mostrou que 98% das empresas entrevistadas utilizam ou pretendem usar estratégia de segurança em cloud para continuar com o home office. As mudanças para a nuvem aumentaram a superfície para os ataques, mas os profissionais admitem que precisam ter uma abordagem diferente. Quase a metade dos entrevistados planeja investir na proteção de sua infraestrutura.

Cenário dos ataques virtuais

Uma grande parte concorda que necessita de mais visibilidade sobre as informações para prevenir ameaças. As mudanças para o trabalho remoto e a pandemia modificaram completamente o cenário dos ataques virtuais. Na opinião dos profissionais, as cargas de trabalho e as aplicações são os pontos mais vulneráveis na jornada de dados.

Quais são as estratégias da TIVIT frente aos ataques cibernéticos?

A TIVIT é uma empresa de tecnologia que confere mais eficiência e inovação aos negócios dos seus parceiros. Somos uma multinacional que está no mercado há 20 anos e atua em 10 países da América Latina, oferecendo soluções digitais de cibersegurança e nuvem híbrida. Nós sustentamos operações de complexidade elevada e oferecemos respostas específicas aos nossos clientes.

Cyber Security

A Cyber Security é uma solução que realiza análises de risco, previne ataques cibernéticos e protege a integridade dos dados das empresas. Os serviços cuidam da segurança dos negócios de nossos parceiros, pois utilizamos as melhores ferramentas do mercado. Vale destacar que a empresa não está ligada a um software.

Processo end-to-end

Fazemos benchmarking para verificar quais são as melhores soluções para cada parceira. Nós contamos com o processo end-to-end, ou seja, temos expertise integral para oferecer atendimento em todos os procedimentos de segurança, desde a identificação da ameaça, análise do problema e correção final. Portanto, não realizamos a indicação de terceiros.

Managed Detection and Response (MDR)

Nós da TIVIT utilizamos plataformas e disponibilizamos equipes especializadas para atender os clientes com excelência. Atuamos no modelo 24x7, ou seja, 24 horas durante 7 dias da semana. Os nossos profissionais são capacitados para a investigação, identificação e oferecimento de respostas às ameaças em tempo real.

DevSecOps

A TIVIT atua na segurança das aplicações e infraestrutura desde o início do processo, automatiza barreiras para que fluxo de trabalho de DevOps não fique lento e possibilita o desenvolvimento de soluções de modo ágil e seguro. Além disso, nós investimos na modernização de aplicativos, usando metodologias ágeis e na integração entre nuvens públicas e privadas.

Threat Intell

Essa solução inteligente engloba uma visão 360º para que o time experiente da TIVIT atue em tempo real na análise, realize a detecção e faça o tratamento de uso indevido dos dados, livrando nossos parceiros da exposição dos seus negócios. Nós também realizamos a jornada dos clientes para a nuvem, aumentando a segurança de suas informações.

Consulting

Temos uma equipe que é altamente qualificada para oferecer excelentes serviços de assessoria, realizar avaliações, análise forense, recuperação de ambientes, gestão de crises, combate a ataques virtuais e projetos inovadores. Nós temos uma infraestrutura robusta, alta performance, expertise em operações de missão crítica e oferecemos a máxima segurança para que nossos clientes tenham seus custos reduzidos.

GRC

A nossa empresa fornece ainda soluções de governança para assegurar que os processos de TI de nossos clientes estejam alinhados com as regras e a estratégia do negócio. Ela agrega valor para os negócios e gera escalabilidade por meio de uma parceria que disponibiliza os melhores provedores do mercado. As nossas metodologias de segurança integradas são certificadas pela ISO 27001.

Além disso, nossos serviços de Security Awareness oferecem Programas de Conscientização que vão desde levar o conhecimento de forma simples e didática àqueles que estão na linha de frente das Organizações, até simulações de golpes cibernéticos e a aplicação de testes de capacitação para levantamento de relatórios que medem a eficácia do Programa de Conscientização.

Cloud Access Security Broker (CASB)

Essa ferramenta fornecida pela TIVIT mantém a segurança de aplicações em cloud e mitiga os riscos de vazamento de informações confidenciais. Trata-se de um software baseado na nuvem que funciona como um agente de segurança de acesso que fica entre os aplicativos e os usuários de serviços. Ele monitora todas as atividades dos colaboradores e aplica políticas de segurança.

Centro de Operações de Segurança (SOC)

SOC é uma plataforma que aponta todos os problemas de segurança digital, coleta, armazena e avalia relatórios com muita agilidade para a correção das vulnerabilidades dos sistemas. Aqui na TIVIT contamos com uma das melhores plataformas e um time especializado para atuar na gestão de ambientes críticos, os quais detectam, analisam, respondem, relatam e previnem incidentes de segurança cibernética.

Threat and Vulnerability Management (TVM)

A TIVIT realiza o processo de gestão de vulnerabilidades dos ambientes produtivos de nossos parceiros para diminuir a exposição organizacional, aumentar a sua resiliência e reforçar a área de superfície do endpoint. As deficiências são avaliadas e sanadas para que as empresas parceiras tenham mais segurança e não existam riscos para os seus negócios.

Identity and Access Management (IAM)

A plataforma de permissão de acessos e gestão de identidade da TIVIT garante a segurança das aplicações, dados e de todos os acessos. Nós operamos os ambientes conforme as diretrizes e normas da ISO 27001, que aborda a segurança da informação.

App Pentest

Na TIVIT, utilizamos ferramentas avançadas para validar a eficiência dos mecanismos de defesa dos aplicativos e controles de segurança App Security as a Service, que protegem e encontram vulnerabilidades. Nós também oferecemos uma plataforma para pipeline, que permite o desenvolvimento seguro de aplicações, denominada Continuous AppSec. Com Code Review (revisão de código), identificamos problemas que passaram despercebidos na etapa da programação.

Brand Abuse

A TIVIT monitora e mapeia o uso indevido da marca dos parceiros. Os nossos sistemas Fraud Discovery atuam para detectar e tratar fraudes, enquanto as ferramentas data leakage identificam e controlam o vazamento de informações sensíveis. Sales Abuse realiza o mapeamento dos dados comerciais e de existência de fraudes em transações financeiras.

Partner Compliance

A solução identifica e corrige desde o princípio do vazamento e atua na prevenção de fraudes. O nosso time avalia a gestão de crises, recupera arquivos sequestrados, realiza simulações de ataque e análises forenses, executa projetos específicos e de transformação digital de negócios.

A TIVIT se responsabiliza pela recuperação de ambientes pós-incidente de segurança e faz a sua validação. Nós desenhamos os processos internos de nossos clientes, de acordo com as melhores práticas de segurança. Os profissionais que temos fazem o teste de penetração, utilizando ferramentas que confirmam a eficiência dos mecanismos de defesa.

Enfim, agora você já sabe um pouco mais sobre os ataques cibernéticos que estão em pleno crescimento no Brasil. Saiba que a TIVIT é uma parceira estratégica que suporta operações robustas e oferece serviços completos, começando pela gestão de infraestrutura de TI, fornece serviços de operações de desastres virtuais e soluções que executam o processamento de informações críticas.

 

Gostaria de saber um pouco mais sobre as nossas soluções? Entre em contato conosco agora mesmo!

Receba novidades

New call-to-action
New call-to-action

Categorias

Ver todas